CONSTRUINDO RELAÇÕES ÉTICA E SOLIDÁRIA ENTRE O CAMPO E CIDADE

Minha foto
A Rede Bragantina de Economia Solidária Artes & Sabores é constituída por 15 (quinze) empreendimentos associativos, atuantes em quatros municípios do Território Nordeste Paraense. Essa Rede tem como entidade de apoio e fomento, a Escola de Formação Para Jovens Agricultores de Comunidades Rurais Amazônicas - ECRAMA e o Centro de Estudos e Defesa do Negro do Pará – CEDENPA, que desenvolvem atividades de educação formal profissionalizante, educação não formal e continuada quanto ao Direitos Humanos, Econômicos, Sociais, Culturais e Ambientais. Esta organização trabalha com princípios e práticas da Economia Solidária, tendo como objetivo: DESENVOLVER E FOMENTAR AÇÕES COLETIVAS DE PRODUÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO E CONSUMO CONSCIENTE, COM HOMENS E MULHERES DO CAMPO E DA CIDADE, VALORIZANDO OS SABERES E A CULTURA DOS POVOS DO BIOMA AMAZÔNICO.

SEGUIDORES

domingo, 18 de março de 2018

ÁGUA NO BRASIL


O Brasil detém 53% do manancial de água doce disponível na América do Sul e possui o maior rio do planeta (rio Amazonas). Os climas equatorial, tropical e subtropical que atuam sobre o território, proporcionam elevados índices pluviométricos.
No entanto, mesmo com grande disponibilidade de recursos hídricos, o país sofre com a escassez de água potável em alguns lugares. A água doce disponível em território brasileiro está irregularmente distribuída: aproximadamente, 80% dos mananciais estão presentes na região Amazônica, restando 16,7% para a região Centro-Sul e apenas 3,3% para a região Nordeste do país.
FONTE

Nas cidades, os problemas de abastecimento
estão diretamente relacionados ao crescimento da demanda, ao desperdício e à urbanização descontrolada que atinge regiões de mananciais.
Na zona rural, os recursos hídricos também são explorados de forma irregular, além de parte da vegetação protetora da bacia (mata ciliar) ser destruída para a realização de atividades como agricultura e pecuária. Não raramente, os agrotóxicos e dejetos utilizados nessas atividades também acabam por poluir a água.
O agravante é a ausência de saneamento básico nas residências da população brasileira. Atualmente, 55% da população não tem água tratada nem saneamento básico. Políticas públicas deveriam ser desenvolvidas para reverter esse quadro. Análises indicam que para cada R$ 1,00 investido em saneamento, o governo deixa de gastar R$ 5,00 em serviços de saúde, investimentos que proporcionam qualidade de vida para a população e economia aos cofres públicos a curto prazo.
Mais de 90% do território brasileiro tem chuvas abundantes durante o todo o ano e as condições climáticas e geológicas proporcionam a formação de uma extensa e densa rede de rios, com exceção do semiárido brasileiro, onde os rios são pobres e temporários. Essa água, no entanto, tem sua distribuição de forma irregular, apesar da abundância em termos gerais. A Amazônia, possui 80% da água superficial, enquanto no Sudeste, a relação se inverte: a maior concentração populacional do País tem disponível 6% do total da água.
Mesmo no Semiárido ou seja 10% do território brasileiro, que é quase metade dos estados do Nordeste, há diversos pontos onde a água é permanente, indicando que existem opções para solucionar problemas socioambientais atribuídos à seca.
Outro fator preocupante é a baixa eficiência das empresas de abastecimento se associa ao quadro de poluição: as perdas na rede de distribuição por roubos e vazamentos atingem entre 40% e 60%, além de 64% das empresas não coletarem o esgoto gerado. O saneamento básico não é implementado de forma adequada, já que 90% dos esgotos domésticos e 70% dos afluentes industriais são jogados sem tratamento nos rios, açudes e águas litorâneas, o que tem gerado um nível de degradação nunca imaginado.
Na última década, a quantidade de água distribuída aos brasileiros cresceu 30%, e dobrou a proporção de água sem tratamento (de 3,9% para 7,2%) o desperdício assusta: 45% de toda a água ofertada pelos sistemas públicos é desperdiçada no seu trajeto.
O que todos entendemos é que alguma coisa mais séria precisa ser feita para organizar o país para não pagarmos a todo momento os prejuízos de administrações incompetentes. Isso passa pela questão de escolhermos melhor desde o vereador e prefeito de nossa cidade, os deputados de nosso estado e o presidente do nosso país. Portanto quem é o responsável por tudo que está acontecendo somos todos nós; Eu, você que está lendo, todos que votam em troca de qualquer de favor, gente séria, gente honesta, corruptos e corruptores; Porque é assim que somos, essa soma de diferentes interesses e ideais, mas que precisamos construir uma cidade melhor, um estado melhor e assim um país melhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

I MODULO CURSO AGROECOLOGIA E CIDADANIA 2019

De 18 a 22 de Março, a escola ECRAMA realizou o primeiro módulo do curso Agroecologia e Cidadania. Na IV edição deste curso, participam ...