CONSTRUINDO RELAÇÕES ÉTICA E SOLIDÁRIA ENTRE O CAMPO E CIDADE

Minha foto
A Rede Bragantina de Economia Solidária Artes & Sabores é constituída por 15 (quinze) empreendimentos associativos, atuantes em quatros municípios do Território Nordeste Paraense. Essa Rede tem como entidade de apoio e fomento, a Escola de Formação Para Jovens Agricultores de Comunidades Rurais Amazônicas - ECRAMA e o Centro de Estudos e Defesa do Negro do Pará – CEDENPA, que desenvolvem atividades de educação formal profissionalizante, educação não formal e continuada quanto ao Direitos Humanos, Econômicos, Sociais, Culturais e Ambientais. Esta organização trabalha com princípios e práticas da Economia Solidária, tendo como objetivo: DESENVOLVER E FOMENTAR AÇÕES COLETIVAS DE PRODUÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO E CONSUMO CONSCIENTE, COM HOMENS E MULHERES DO CAMPO E DA CIDADE, VALORIZANDO OS SABERES E A CULTURA DOS POVOS DO BIOMA AMAZÔNICO.

SEGUIDORES

sexta-feira, 28 de setembro de 2018

RODA DE CONHECIMENTO NA REDE BRAGANTINA


Educação para o Bem Viver melhorando a gestão do empreendimento econômico solidário Café em Rede da Rede Bragantina
Cuidar dos clientes como gostaríamos de ser cuidado. A preocupação com qualidade dos produtos vendidos. Oferecer serviços que deixei os clientes satisfeitos e com vontade de voltar. Os cuidados que se deve tomar na produção para evitar o prejuízo. Foram temas tratados durante do curso de gestão neste final de semana.
Esse processo formativo faz parte das ações do projeto Produção e consumo sustentável, que tem como um dos objetivos elevar à comercialização da produção dos agricultores e agricultoras familiares agregados a rede.
A roda do conhecimento aconteceu de baixo da Mangueira arvore símbolo de Belém, com seus frutos deliciosos e seu tamanho exuberante proporcionando sombras e ventilação que ajudam no calor característico da cidade.
Com esse aprimoramento, esperamos que o Café na Rede seja como uma Mangueira, para os seus vizinhos, clientes e moradores do bairro da Pedreira, cuidando da cidade oferendo alimentação saudável e excelente atendimento com valores sustentáveis e solidários.
O curso tem apoio financeiro do #FundoCasa, em parceria com o #InstitutoVitóriaRégia e executado pela #RedeBragantina. Contamos com o apoio importante para a realização desta ação educativa da Paroquia de Confissão Luterana em Belém - PCLB e #RedeAmazônicadosFundosSolidários.
Ao final da roda do conhecimento as educandas/empreendedoras receberam um texto sobre economia solidária e politicas publicas para ser debatidos na próxima atividade depois do Círio de Nazaré





domingo, 16 de setembro de 2018

PROGRAMAS DE REGULARIZAÇÃO AMBIENTAL – PRA


Os programas estaduais de regularização ambiental (PRAs) são essenciais para viabilizar o correto cumprimento do Código Florestal. Para que o proprietário ou posseiro possa regularizar seu imóvel e sua produção, ele precisa aderir ao PRA do estado onde se localiza. É no PRA que se definem as diretrizes e requisitos para a restauração ou compensação da vegetação nativa, no caso dos imóveis que têm déficit de cobertura vegetal, e os incentivos para os imóveis que possuem vegetação acima do mínimo exigido por lei. 
O Portaldo Código Florestal disponibiliza informação sobre quais estados já possuem PRAs – permitindo consultar e baixar toda a legislação pertinente para cada estado – , quais estados estão elaborando seus planos e quais ainda não iniciaram este processo. Esta ferramenta favorece o monitoramento por parte da sociedade, que pode pressionar os governantes para que se empenhem na implementação do Código Florestal.



sábado, 15 de setembro de 2018

PRODUÇÃO E CONSUMO SUSTENTÁVEL



A Rede Bragantina de Economia Solidária Artes e Sabores, em parceria com o Instituto Vitoria Regia, realiza nesta sexta feira 14 de setembro, primeiro momento de formação previsto no projeto: Produção e Consumo Sustentável: aliança campo & cidade.
Esta ação, realizada do auditório cedido pela IBAMA, faz parte do projeto financiado pelo FUNDO SOCIOAMBIENTAL CASA, e teve como tema “O direito à cidade e alimentação saudável”. Palestrante a Dra. Tatiana Deane Sá de Abreu – Núcleo Puxirum Agroecológico – EMBRAPA/Cpatu.
Participam da atividade, equipe da Rede Bragantina – ponto de comercialização Belém, representantes dos outros grupos e associações que atuam na região, bem como o Sr. Lucas, articulador estadual das ações previstas no projeto Fundo Ambiental Casa.      

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

ENCONTRO DE MULHERES NEGRAS QUILOMBOLAS


No período de 14 a 16 de setembro de 2018 acontecerá o 9º Encontro de Mulheres Negras Quilombolas, na Comunidade Quilombola de Santa Rita das Barreiras localizada em São Miguel do Guamá. Esse encontro é organizado pela coordenação das Associações das Comunidades Remanescente de Quilombo do Pará - MALUNGU em parceria com as associações quilombolas afiliadas e o Centro de Estudos e Defesa do Negro do Pará - CEDENPA. A realização de encontros periódicos torna-se importante para garantir o fortalecimento do protagonismo das mulheres negras quilombolas dentro e fora de suas comunidades, o que tem feito com que esteja se constituindo numa categoria importante, sobretudo, no espaço agrário.
Dessa forma, os objetivos perpassam em contribuir para o fortalecimento e organização das mulheres negras quilombolas do Pará para garantir atuação em suas comunidades em prol do desenvolvimento comunitário; da garantia de defesa e sustentabilidade de seus territórios e equidade de gênero.
A representante do CEDENPA – núcleo Guamá participa da mesa, organizada para debater Valorizando a cultura quilombola de plantas frutíferas e ervas medicinais”

sexta-feira, 7 de setembro de 2018

GRITO DOS EXCLUÍDOS 2018




O Grito dos Excluídos é uma manifestação popular carregada de simbolismo, é um espaço de animação e profecia, sempre aberto e plural de pessoas, grupos, entidades, igrejas e movimentos sociais comprometidos com as causas dos excluídos.
O Grito é uma descoberta, uma vez que agentes e lideranças apenas abrem um canal para que o Grito sufocado venha a público.
O Grito brota do chão e encontra em seus organizadores suficiente sensibilidade para dar-lhe forma e visibilidade. O Grito não tem um “dono”, não é da Igreja, do Sindicato, da Pastoral; não se caracteriza por discursos de lideranças, nem pela centralização dos seus atos; o ecumenismo é vivido na prática das lutas, pois entendemos que os momentos e celebrações ecumênicas são importantes para fortalecer o compromisso.

quarta-feira, 5 de setembro de 2018

CARTA DE COMPROMISSO AOS/ÀS CANDIDATOS/AS AO LEGISLATIVO E EXECUTIVO NAS ELEIÇÕES DE 2018



Com propósito de avançar no processo de transformação profunda do modelo de produção agrícola e construir a transição agroecológica, demonstrando sociedade urbana que a soberania começa pela boca, por alimentos saudáveis para toda população e por segurança jurídica e sanitária às nossas exportações, conclamamos aos candidatos e candidatas a cargos públicos eletivos e aos poderes executivo e legislativo a apoiarem esta pauta: Chega de Agrotóxicos!
Campanha Permanente contra os Agrotóxicos e pela Vida
NESTE LINK O FORMULÁRIO PARA ASSINAR ATÉ O DIA 10 DE SETEMBRO

SEMINÁRIO REGIONAL GOVERNO ABERTO E TRANSPARÊNCIA DO CÓDIGO FLORESTAL


No próximo dia 6 de setembro, os Procuradores-Gerais de Justiça da Amazônia estarão reunidos para debater a relação entre a transparência dos dados ambientais e a defesa das florestas na Amazônia Legal. O Seminário Regional Governo Aberto e Transparência do Código Florestal, que acontecerá no dia 6 de setembro em São Luís, é resultado da união de esforços entre o Observatório do Código Florestal, a Associação Brasileira dos Membros do Ministério Público de Meio Ambiente e o Ministério Público do Estado do Maranhão.
O evento é um espaço para disseminar o conceito, os princípios e as práticas de Governo Aberto para organizações da sociedade civil, do poder público e do setor privado que atuam com a implementação FONTE: Observatório do Código Florestal

DIA DA AMAZÔNIA - 05 SETEMBRO


No dia 5 de setembro é comemorado o Dia da Amazônia, a maior reserva natural do planeta e, sem dúvidas, uma das maiores riquezas da humanidade. Esse bioma, que possui cerca de cinco milhões e meio de quilômetros de floresta e abrange nove países, apresenta apenas 26% da sua área em território brasileiro protegida, fato que ameaça o futuro da floresta.
O Dia da Amazônia surgiu como uma forma de chamar a atenção para esse bioma e a data foi escolhida como forma de homenagear a criação da Província do Amazonas por D. Pedro II em 1850. Nessa data o objetivo principal

I MODULO CURSO AGROECOLOGIA E CIDADANIA 2019

De 18 a 22 de Março, a escola ECRAMA realizou o primeiro módulo do curso Agroecologia e Cidadania. Na IV edição deste curso, participam ...