CONSTRUINDO RELAÇÕES ÉTICA E SOLIDÁRIA ENTRE O CAMPO E CIDADE

Minha foto
A Rede Bragantina de Economia Solidária Artes & Sabores é constituída por 15 (quinze) empreendimentos associativos, atuantes em quatros municípios do Território Nordeste Paraense. Essa Rede tem como entidade de apoio e fomento, a Escola de Formação Para Jovens Agricultores de Comunidades Rurais Amazônicas - ECRAMA e o Centro de Estudos e Defesa do Negro do Pará – CEDENPA, que desenvolvem atividades de educação formal profissionalizante, educação não formal e continuada quanto ao Direitos Humanos, Econômicos, Sociais, Culturais e Ambientais. Esta organização trabalha com princípios e práticas da Economia Solidária, tendo como objetivo: DESENVOLVER E FOMENTAR AÇÕES COLETIVAS DE PRODUÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO E CONSUMO CONSCIENTE, COM HOMENS E MULHERES DO CAMPO E DA CIDADE, VALORIZANDO OS SABERES E A CULTURA DOS POVOS DO BIOMA AMAZÔNICO.

SEGUIDORES

quarta-feira, 27 de março de 2019

I MODULO CURSO AGROECOLOGIA E CIDADANIA 2019


De 18 a 22 de Março, a escola ECRAMA realizou o primeiro módulo do curso Agroecologia e Cidadania. Na IV edição deste curso, participam homens e mulheres dos municípios de Santa Luzia do Pará, Bragança, Cachoeira do Píria,  Irituia, Mãe do Rio, Mosqueiro e Castanhal.


A dra Tatiana Sá, do Nucleo Puxirum Agroecologico da Embrapa / Cpatu, conduziu a metodologia do curso tem por base a construção do conhecimento agroecologico, a partir das vivencias e percepção dos (as) participantes, de modo que cada um e cada uma, identifique possibilidades e limites dos agroecossistemas na propriedade familiar, na comunidade e no território, para iniciar a transição agroecologica com vistas a sustentabilidade local nesses ambientes. A fala e o desenho da propriedade, de cada participante, são elementos que identificam a abordagem da dimensão ecologica, técnico produtiva, na diversidade do ambiente amazônico.

Contemplando a abordagem teórica, a equipe de educadores da escola realizaram com a turma,  práticas sobre manejo e conservação o solo, a com uso de biomassa de plantas adubadeiras, adubos verde, biofertilizante, compostagem, práticas que internalizam o uso de recursos locais, na ciclagem e nutrientes e energia. A produção de mudas para diversidade de quintais florestais.

Alunos egressos da turma 2018, apresentaram o projeto Guardiães da Biodiversidade, firmando o compromisso da turma 2019, para guarda de sementes cabloca, tuberculos, plantas comestiveis e medicinais do saber tradicional dos camponeses para a  autonomia da agricultura familiar.

No exercício da ação cidadã, a Mística desse Tempo escola, versou o tema da Campanha da Fraternidade 2019. Cada equipe de participantes apresentou uma temática sobre “Fraternidade e Politicas Pública.” A reflexão do ultimo tema da semana, contou com a presença do padre Fábio, vigário de Santa Luzia, Bruno, seminarista em estágio na paróquia e as irmãs Maria do Carmo e Rayane

 Produção de biofertilizante

Manejo de biomassa em área se queima para produção de alimento



sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

AGROBIDIVERSIDADE DA REDE BRAGANTINA PARTICIPA DE EXPOSIÇÃO SOBRE ODS NA CAIXA


Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) 5. Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas e 8. Promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todas e todos foram debatidos por funcionários da Caixa Econômica Federal - Belém, nesta quarta e quinta feira.


Os produtos da Agrobidiversidade da Rede Bragantina participam da exposição e comercialização que foi montado no hall durante o evento. Momento que foram convidadas outras experiências que estão dedicadas às metas dos #ODS.  E que foi, aproveitado, também como vitrine para demonstrar produção dos empreendimentos econômicos solidários.


O licor de Açaí com seu novo rótulo, em duas versões, que foi lançado na ultima sexta feira fez sucesso entre visitantes e funcionários presentes. 

Além do licor de Açaí outros produtos estavam a disposição como feijão manteiguinha e caupi, farinha de mandioca, mel, composto de mel, multimistura e fitoterápicos.
Essas ações fazem parte

sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

LICOR DE AÇAÍ É LANÇADO HOJE NA FEIRA DE ARTE, SABORES E DA AGROBIODEVISADADE NA LOJA CAFÉ EM REDE


Hoje  sexta feira, das 16h às 21h, em sua loja Café em Rede, Tv Lomas Valentinas,1126, bairro da Pedreira, Belém - PA, durante a feira de Artes e Sabores e da Agrobiodiverdade


Com Musica, poesia Fotografia, café com tapioca, produtos agroecológicos, artesanato, comida regional, plantas medicinais e ornamentais.  E lançamento do Licir de Açaí, feira de Arte, Sabores e da Agrobiodevisadade  na Loja Café em Rede, a partir da 16h.

O açaí é considerado um superalimento por ser uma das fontes mais ricas de antioxidantes, sendo muito utilizado para fazer bebidas, geleias, doces, sorvetes e licores.

O açaí possui propriedades antioxidantes, depurativas, estimulantes e anti-inflamatórias, possuindo, assim, diversos benefícios, como:

A agrobiodiversidade é o conjunto de espécies da biodiversidade utilizada pelas comunidades locais, povos indígenas e agricultores familiares. Estas diferentes comunidades conservam, manejam e utilizam os diferentes componentes da agrobiodiversidade.



A Rede Bragantina de Economia Solidária Artes & Sabores, trabalha com princípios e práticas da Agricultara Familiar, agroecologia, produção orgânica e economia solidária, valorizando os saberes e a cultura dos povos do bioma Amazônico, visando desenvolver e fomentar ações coletivas de produção, comercialização e consumo consciente, com homens e mulheres do campo e da cidade.

O projeto Produção e Consumo Sustentável: Aliança Campo & Cidade para uma Comercialização Solidária do campo a mesa, financiado pelo Fundo Casa/Fundo Socioambiental Caixa com o apoio do Instituto Vitória Régia. Através do projeto prevemos a implantação de estratégias de marketing e gestão da comercialização.

A programação contará ainda  com um tributo ao sempre solidário Ademar Bertucci que dedicou sua vida ajuadar na organização de iniciativas de empreendimentos econômicos solidários e de maneira especial os Fundos Rotativos Solidários.

Teremos a participação mais que especial do  O grupo de cultura regional Iaçá é uma Associação Civil Cultural, sem fins lucrativos, fundada em agosto de 1997, sediada em Belém. É consolidada por diferentes expressões artísticas, como a dança regional, música e teatro popular (Pássaro Junino Ararajuba).
Em 20 anos de história o grupo musical realizou mais de mil apresentações na capital, no interior e fora do Estado do Pará; lançou os CDs “Um canto para Iaçá” (2002), “Roda de Carimbó” (2007) e agora o “Roda de Cores”

sexta-feira, 28 de setembro de 2018

RODA DE CONHECIMENTO NA REDE BRAGANTINA


Educação para o Bem Viver melhorando a gestão do empreendimento econômico solidário Café em Rede da Rede Bragantina
Cuidar dos clientes como gostaríamos de ser cuidado. A preocupação com qualidade dos produtos vendidos. Oferecer serviços que deixei os clientes satisfeitos e com vontade de voltar. Os cuidados que se deve tomar na produção para evitar o prejuízo. Foram temas tratados durante do curso de gestão neste final de semana.
Esse processo formativo faz parte das ações do projeto Produção e consumo sustentável, que tem como um dos objetivos elevar à comercialização da produção dos agricultores e agricultoras familiares agregados a rede.
A roda do conhecimento aconteceu de baixo da Mangueira arvore símbolo de Belém, com seus frutos deliciosos e seu tamanho exuberante proporcionando sombras e ventilação que ajudam no calor característico da cidade.
Com esse aprimoramento, esperamos que o Café na Rede seja como uma Mangueira, para os seus vizinhos, clientes e moradores do bairro da Pedreira, cuidando da cidade oferendo alimentação saudável e excelente atendimento com valores sustentáveis e solidários.
O curso tem apoio financeiro do #FundoCasa, em parceria com o #InstitutoVitóriaRégia e executado pela #RedeBragantina. Contamos com o apoio importante para a realização desta ação educativa da Paroquia de Confissão Luterana em Belém - PCLB e #RedeAmazônicadosFundosSolidários.
Ao final da roda do conhecimento as educandas/empreendedoras receberam um texto sobre economia solidária e politicas publicas para ser debatidos na próxima atividade depois do Círio de Nazaré





domingo, 16 de setembro de 2018

PROGRAMAS DE REGULARIZAÇÃO AMBIENTAL – PRA


Os programas estaduais de regularização ambiental (PRAs) são essenciais para viabilizar o correto cumprimento do Código Florestal. Para que o proprietário ou posseiro possa regularizar seu imóvel e sua produção, ele precisa aderir ao PRA do estado onde se localiza. É no PRA que se definem as diretrizes e requisitos para a restauração ou compensação da vegetação nativa, no caso dos imóveis que têm déficit de cobertura vegetal, e os incentivos para os imóveis que possuem vegetação acima do mínimo exigido por lei. 
O Portaldo Código Florestal disponibiliza informação sobre quais estados já possuem PRAs – permitindo consultar e baixar toda a legislação pertinente para cada estado – , quais estados estão elaborando seus planos e quais ainda não iniciaram este processo. Esta ferramenta favorece o monitoramento por parte da sociedade, que pode pressionar os governantes para que se empenhem na implementação do Código Florestal.



sábado, 15 de setembro de 2018

PRODUÇÃO E CONSUMO SUSTENTÁVEL



A Rede Bragantina de Economia Solidária Artes e Sabores, em parceria com o Instituto Vitoria Regia, realiza nesta sexta feira 14 de setembro, primeiro momento de formação previsto no projeto: Produção e Consumo Sustentável: aliança campo & cidade.
Esta ação, realizada do auditório cedido pela IBAMA, faz parte do projeto financiado pelo FUNDO SOCIOAMBIENTAL CASA, e teve como tema “O direito à cidade e alimentação saudável”. Palestrante a Dra. Tatiana Deane Sá de Abreu – Núcleo Puxirum Agroecológico – EMBRAPA/Cpatu.
Participam da atividade, equipe da Rede Bragantina – ponto de comercialização Belém, representantes dos outros grupos e associações que atuam na região, bem como o Sr. Lucas, articulador estadual das ações previstas no projeto Fundo Ambiental Casa.      

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

ENCONTRO DE MULHERES NEGRAS QUILOMBOLAS


No período de 14 a 16 de setembro de 2018 acontecerá o 9º Encontro de Mulheres Negras Quilombolas, na Comunidade Quilombola de Santa Rita das Barreiras localizada em São Miguel do Guamá. Esse encontro é organizado pela coordenação das Associações das Comunidades Remanescente de Quilombo do Pará - MALUNGU em parceria com as associações quilombolas afiliadas e o Centro de Estudos e Defesa do Negro do Pará - CEDENPA. A realização de encontros periódicos torna-se importante para garantir o fortalecimento do protagonismo das mulheres negras quilombolas dentro e fora de suas comunidades, o que tem feito com que esteja se constituindo numa categoria importante, sobretudo, no espaço agrário.
Dessa forma, os objetivos perpassam em contribuir para o fortalecimento e organização das mulheres negras quilombolas do Pará para garantir atuação em suas comunidades em prol do desenvolvimento comunitário; da garantia de defesa e sustentabilidade de seus territórios e equidade de gênero.
A representante do CEDENPA – núcleo Guamá participa da mesa, organizada para debater Valorizando a cultura quilombola de plantas frutíferas e ervas medicinais”

I MODULO CURSO AGROECOLOGIA E CIDADANIA 2019

De 18 a 22 de Março, a escola ECRAMA realizou o primeiro módulo do curso Agroecologia e Cidadania. Na IV edição deste curso, participam ...