CONSTRUINDO RELAÇÕES ÉTICA E SOLIDÁRIA ENTRE O CAMPO E CIDADE

Minha foto
A Rede Bragantina de Economia Solidária Artes & Sabores é constituída por 15 (quinze) empreendimentos associativos, atuantes em quatros municípios do Território Nordeste Paraense. Essa Rede tem como entidade de apoio e fomento, a Escola de Formação Para Jovens Agricultores de Comunidades Rurais Amazônicas - ECRAMA e o Centro de Estudos e Defesa do Negro do Pará – CEDENPA, que desenvolvem atividades de educação formal profissionalizante, educação não formal e continuada quanto ao Direitos Humanos, Econômicos, Sociais, Culturais e Ambientais. Esta organização trabalha com princípios e práticas da Economia Solidária, tendo como objetivo: DESENVOLVER E FOMENTAR AÇÕES COLETIVAS DE PRODUÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO E CONSUMO CONSCIENTE, COM HOMENS E MULHERES DO CAMPO E DA CIDADE, VALORIZANDO OS SABERES E A CULTURA DOS POVOS DO BIOMA AMAZÔNICO.

SEGUIDORES

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

INTERCAMBIO DA REDE BRAGANTINA E ASSOCIAÇÃO SANTO ANTONIO DOS PRETOS

Neste início de semana a Rede Bragantina e alguns de seus empreendimentos associativos receberam a visita de integrantes da comunidade quilombola de Santo Antonio dos Pretos do município de Penalva – MA. Entre os participantes do intercambio, Senhora Elivania Estrela Alves, coordenadora do projeto Saúde, Alfabetização, Agua e Autodesenvolvimento e o Sr. Betinho Aires, presidente da associação ASADP. O projeto é executado entre as famílias de nove comunidades, sob responsabilidade da Medicus Mundi Italia e financiado pela CEI.
Entre os objetivos do intercambio:

> aproximar as experiências e troca de saberes e informações
> práticas de produção de farinha de mandioca lavada
·  organização social, econômica e política  de Agricultores (as) Familiares, em Rede de Economia Solidária 

Pratica de produção de farinha lavada na comunidade quilombola de Tipitinga 

Integrantes do Grupo ATAVIDA 

Visita a Cooperativa COOMAR  

 Visita as instalações da escola ECRAMA

   

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DESMATAMENTO NA BACIA DO XINGU DOBRA ENTRE MARÇO E ABRIL

A área desmatada na floresta amazônica que cerca a bacia do Rio Xingu  chegou a 12.342 hectares apenas em abril. O número é mais que o dob...