CONSTRUINDO RELAÇÕES ÉTICA E SOLIDÁRIA ENTRE O CAMPO E CIDADE

Minha foto
A Rede Bragantina de Economia Solidária Artes & Sabores é constituída por 15 (quinze) empreendimentos associativos, atuantes em quatros municípios do Território Nordeste Paraense. Essa Rede tem como entidade de apoio e fomento, a Escola de Formação Para Jovens Agricultores de Comunidades Rurais Amazônicas - ECRAMA e o Centro de Estudos e Defesa do Negro do Pará – CEDENPA, que desenvolvem atividades de educação formal profissionalizante, educação não formal e continuada quanto ao Direitos Humanos, Econômicos, Sociais, Culturais e Ambientais. Esta organização trabalha com princípios e práticas da Economia Solidária, tendo como objetivo: DESENVOLVER E FOMENTAR AÇÕES COLETIVAS DE PRODUÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO E CONSUMO CONSCIENTE, COM HOMENS E MULHERES DO CAMPO E DA CIDADE, VALORIZANDO OS SABERES E A CULTURA DOS POVOS DO BIOMA AMAZÔNICO.

SEGUIDORES

sexta-feira, 11 de maio de 2018

EDUCAÇÃO FINANCEIRA PARA EMPREENDIMENTOS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA DA REDE BRAGANTINA


A reflexão da problemática de viabilidade ambiental, econômica e social dos empreendimentos associativos, e grupos de geração de renda, com atividades a partir da estrutura dos agroecossistemas da agricultura familiar, nos provoca a reelaborar, o aprendizado sobre as potencialidades e os desafios da Agroecologia, enquanto Ciência, Prática social e Movimento.

É com este pensamento que a Rede Bragantina de Economia Solidária, com apoio das instituições parceiras; Escola ECRAMA, AMAZONCRED, Paróquia de Santa Luzia do Pará, Núcleo Puxirum Agroecológico – Embrapa /Cpatu,; promoveram  nos dias 9, 10 e 11 de Maio o curso Educação financeira para empreendimentos de economia solidária.

Os objetivos desse curso, quanto a capacitação de homens e mulheres para a ação planejada, de produção Agroecologica de bens e serviços, comercialização em feiras da agricultura familiar e economia solidária, mercados institucionais, outros organizados pela Rede Bragantina, foram contemplados pelo aprendizado da gestão dos meios de produção e da renda gerada pelos empreendimentos, e notadamente, pela disciplina e registro de ações planejada e controle de entradas e saídas, geradas pelo trabalho coletivo.


A Roda de Conversa com a presença da gerente operacional do AMAZONCRED, gerencia do Programa AMAZONIA FLORESCER,  EMATER – Esloc Santa Luzia do Pará, Secretaria de Agricultura do Município, foi afirmada a importância da produtividade do trabalho em parcerias das ações conjuntas de politicas pública, para o fortalecimento dos empreendimentos de economia solidária: acesso ao crédito especial, acompanhamento técnico e comercialização.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

DESMATAMENTO NA BACIA DO XINGU DOBRA ENTRE MARÇO E ABRIL

A área desmatada na floresta amazônica que cerca a bacia do Rio Xingu  chegou a 12.342 hectares apenas em abril. O número é mais que o dob...