CONSTRUINDO RELAÇÕES ÉTICA E SOLIDÁRIA ENTRE O CAMPO E CIDADE

Minha foto
A Rede Bragantina de Economia Solidária Artes & Sabores é constituída por 15 (quinze) empreendimentos associativos, atuantes em quatros municípios do Território Nordeste Paraense. Essa Rede tem como entidade de apoio e fomento, a Escola de Formação Para Jovens Agricultores de Comunidades Rurais Amazônicas - ECRAMA e o Centro de Estudos e Defesa do Negro do Pará – CEDENPA, que desenvolvem atividades de educação formal profissionalizante, educação não formal e continuada quanto ao Direitos Humanos, Econômicos, Sociais, Culturais e Ambientais. Esta organização trabalha com princípios e práticas da Economia Solidária, tendo como objetivo: DESENVOLVER E FOMENTAR AÇÕES COLETIVAS DE PRODUÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO E CONSUMO CONSCIENTE, COM HOMENS E MULHERES DO CAMPO E DA CIDADE, VALORIZANDO OS SABERES E A CULTURA DOS POVOS DO BIOMA AMAZÔNICO.

SEGUIDORES

terça-feira, 12 de agosto de 2014

ASSINADO TERMO DE PARCERIA



Na sexta feira, 01 de Agosto, os representantes da Obras Sociais da Diocese de Bragança e da Moradia e Cidadania – Coordenação Pará, assinaram termo de parceria para implementação de ações que visam fortalecer duas comunidades quilombolas do Território Nordeste Paraense, onde vivem famílias em situação de insegurança alimentar e nutricional.

A Rede Bragantina de Economia Solidária Artes & Sabores, juntamente as associações / comunidade beneficiaria diretas das ações, são responsáveis pela execução e acompanhamento das atividades implantadas.
Nas comunidades Paca e Aningal, município de Viseu, serão instalados módulos familiares de criação de aves, adequando as práticas locais com técnicas de criação em sistema semiconfinado. Estimulando entre as famílias beneficiárias, o aprendizado e o trabalho em mutirão para o desenvolvimento das atividades e a sustentabilidade das ações previstas.
Na comunidade da Narcisa, município de Capitão Poço, será reestruturada a unidade de beneficiamento da farinha de mandioca (casa de farinha) já existente na comunidade, porém em precárias condições. A adequação das instalações e a aquisição de alguns equipamentos, permitirá aos associados maior aproveitamento do potencial da mandioca, passando a produzir não somente farinha de mandioca de boa qualidade, mas, goma, tucupi e com os resíduos, ração para criação de aves e produção de adubos orgânicos.


Diretoria da Moradia e Cidadania Coordenação Pará e representantes das entidades de promoção e parceiras da Rede Bragantina.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário

I MODULO CURSO AGROECOLOGIA E CIDADANIA 2019

De 18 a 22 de Março, a escola ECRAMA realizou o primeiro módulo do curso Agroecologia e Cidadania. Na IV edição deste curso, participam ...