CONSTRUINDO RELAÇÕES ÉTICA E SOLIDÁRIA ENTRE O CAMPO E CIDADE

Minha foto
A Rede Bragantina de Economia Solidária Artes & Sabores é constituída por 15 (quinze) empreendimentos associativos, atuantes em quatros municípios do Território Nordeste Paraense. Essa Rede tem como entidade de apoio e fomento, a Escola de Formação Para Jovens Agricultores de Comunidades Rurais Amazônicas - ECRAMA e o Centro de Estudos e Defesa do Negro do Pará – CEDENPA, que desenvolvem atividades de educação formal profissionalizante, educação não formal e continuada quanto ao Direitos Humanos, Econômicos, Sociais, Culturais e Ambientais. Esta organização trabalha com princípios e práticas da Economia Solidária, tendo como objetivo: DESENVOLVER E FOMENTAR AÇÕES COLETIVAS DE PRODUÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO E CONSUMO CONSCIENTE, COM HOMENS E MULHERES DO CAMPO E DA CIDADE, VALORIZANDO OS SABERES E A CULTURA DOS POVOS DO BIOMA AMAZÔNICO.

SEGUIDORES

domingo, 26 de novembro de 2017

V MÓDULO DO II CURSO AGROECOLOGIA E CIDADANIA

No período de 20 a 24 de novembro, a escola ECRAMA finalizou o curso Agroecologia e Cidadania. Com 5 dias de intensas atividades, jovens de 17 comunidades, entre; quilombolas, agricultura familiar tradicional, assentados e acampados de reforma agrária; apresentaram a seus familiares e convidados, o percurso de aprendizagem do curso, sistematizando um “igarapé do tempo”, ou seja, a percepção de como iniciaram e como chegaram no decorrer de 200 horas de tempo presencial e 200 horas em Alternância pedagógica.
Resumimos nas palavras do jovem Nailton – comunidade de São Francisco do Seringal, a percepção do conjunto da turma, que a Agroecologia é Ciência, é Prática e é Cidadania, por que é também Movimento, Organização por uma sociedade justa e sustentável.
A celebração ecumênica de encerramento, presidida pela Diácono José Wilson, foi um momento de partilha e compromisso com este projeto de sociedade, onde todos e todas são convidados a vivenciar através do Associativismo em Rede de Economia Solidária.

A escola ECRAMA, executora do projeto que viabilizou a realização desse curso, agradece a MISEREOR, Núcleo Puxirum Agroecológico da Embrapa/Cpatu, CIRAD, SEMED e EMATER / Santa Luzia do Pará, UFPa – e IFPa do município de Bragança, ao professor Sérgio Gusmão, aos agricultores do município de Tomé Açu, e todos os parceiros, voluntárias (os) e movimentos sociais que dialogam com a educação do campo.

Concluinte cursos Agroecologia e Cidadania 

 Celebração ecumênica no encerramento do curso

Nenhum comentário:

Postar um comentário

XVI CONGRESSO DA SOCIEDADE INTERNACIONAL DE ETNOBIOLOGIA

O XVI Congresso da Sociedade Internacional de Etnobiologia, em conjunto com o XII Simpósio Brasileiro de Etnobiologia e Etnoecologia, será...