CONSTRUINDO RELAÇÕES ÉTICA E SOLIDÁRIA ENTRE O CAMPO E CIDADE

Minha foto
A Rede Bragantina de Economia Solidária Artes & Sabores é constituída por 15 (quinze) empreendimentos associativos, atuantes em quatros municípios do Território Nordeste Paraense. Essa Rede tem como entidade de apoio e fomento, a Escola de Formação Para Jovens Agricultores de Comunidades Rurais Amazônicas - ECRAMA e o Centro de Estudos e Defesa do Negro do Pará – CEDENPA, que desenvolvem atividades de educação formal profissionalizante, educação não formal e continuada quanto ao Direitos Humanos, Econômicos, Sociais, Culturais e Ambientais. Esta organização trabalha com princípios e práticas da Economia Solidária, tendo como objetivo: DESENVOLVER E FOMENTAR AÇÕES COLETIVAS DE PRODUÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO E CONSUMO CONSCIENTE, COM HOMENS E MULHERES DO CAMPO E DA CIDADE, VALORIZANDO OS SABERES E A CULTURA DOS POVOS DO BIOMA AMAZÔNICO.

SEGUIDORES

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

II ENCONTRO AMAZÔNICO DOS FUNDOS SOLIDÁRIOS. 8 E 9 DE DEZEMBRO.

Com a participação de 30 representantes de Empreendimentos das regiões Nordeste Paraense, Marajó, Tocantina, Sul do Pará, e Estado do Amapá e Tocantins, e organizações não governamentais, teve inicio nesta quinta feira o II Encontro Amazônico dos Fundos Solidários.
O Fundo Solidário é uma poupança comunitária dos Empreendimentos de Economia Solidária - EES. Na percepção e relato de experiências dos participantes

, o Fundo Solidário tem significativa importância para incentivar a autonomia financeira dos Empreendimentos, estimular a auto estima e confiança de homens e mulheres na organização e desenvolvimento local. O relato da experiência do Banco Comunitário de Pracuuba, em São Sebastião da Boa Vista, são sinais, do avanço da Economia e Finanças Solidárias no Estado do Pará.
Em sua maioria os EES, desenvolvem atividades de organização e comercialização da produção, dos recursos da sociobiodiversidade, notadamente o Açaí, Andiroba, castanha do Pará.  Além da riqueza e da diversidade de produtos da Agricultura familiar; como: Mel, farinha de mandioca, Artesanato, Confecções, Licor, Doces.

Dentre os desafios da Economia Solidária na Amazônia, há um consenso, sobre a necessidade de mercados alternativos, capacitação e custos de administração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

I MODULO CURSO AGROECOLOGIA E CIDADANIA 2019

De 18 a 22 de Março, a escola ECRAMA realizou o primeiro módulo do curso Agroecologia e Cidadania. Na IV edição deste curso, participam ...