CONSTRUINDO RELAÇÕES ÉTICA E SOLIDÁRIA ENTRE O CAMPO E CIDADE

Minha foto
A Rede Bragantina de Economia Solidária Artes & Sabores é constituída por 15 (quinze) empreendimentos associativos, atuantes em quatros municípios do Território Nordeste Paraense. Essa Rede tem como entidade de apoio e fomento, a Escola de Formação Para Jovens Agricultores de Comunidades Rurais Amazônicas - ECRAMA e o Centro de Estudos e Defesa do Negro do Pará – CEDENPA, que desenvolvem atividades de educação formal profissionalizante, educação não formal e continuada quanto ao Direitos Humanos, Econômicos, Sociais, Culturais e Ambientais. Esta organização trabalha com princípios e práticas da Economia Solidária, tendo como objetivo: DESENVOLVER E FOMENTAR AÇÕES COLETIVAS DE PRODUÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO E CONSUMO CONSCIENTE, COM HOMENS E MULHERES DO CAMPO E DA CIDADE, VALORIZANDO OS SABERES E A CULTURA DOS POVOS DO BIOMA AMAZÔNICO.

SEGUIDORES

terça-feira, 26 de abril de 2016

TEMPO COMUNIDADE NA ESCOLA ECRAMA



Nos dias 21, 22, e 23 de Abril foram realizados os primeiros acompanhamentos dos participantes do curso Agroecologia e Cidadania.  Foram visitadas as propriedades de 8 (oito) participantes do Curso, que moram nas comunidades Quilombolas de Camiranga, Bela Aurora e Mariana, todas banhada pelo rio Gurupi, na divisa entre o Pará e o Maranhão, pertencente ao município de Cachoeira do Piriá. O tempo comunidade é  atividade integrante do projeto “Homens e Mulheres, protagonistas da Educação e Desenvolvimento Local Sustentável”, financiado pela MISEREOR. O objetivo principal foi de conhecer



as áreas dos alunos, a dinâmica das atividades agroecológicas e a percepção agroecológica dos mesmos, e tirando possíveis duvidas das atividades que os educando receberam durante o tempo escola para serem desenvolvidas em casa. Durante este período de intervalo, do tempo presencial na escola, serão visitados todos os participantes do curso

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DESMATAMENTO NA BACIA DO XINGU DOBRA ENTRE MARÇO E ABRIL

A área desmatada na floresta amazônica que cerca a bacia do Rio Xingu  chegou a 12.342 hectares apenas em abril. O número é mais que o dob...