CONSTRUINDO RELAÇÕES ÉTICA E SOLIDÁRIA ENTRE O CAMPO E CIDADE

Minha foto
A Rede Bragantina de Economia Solidária Artes & Sabores é constituída por 15 (quinze) empreendimentos associativos, atuantes em quatros municípios do Território Nordeste Paraense. Essa Rede tem como entidade de apoio e fomento, a Escola de Formação Para Jovens Agricultores de Comunidades Rurais Amazônicas - ECRAMA e o Centro de Estudos e Defesa do Negro do Pará – CEDENPA, que desenvolvem atividades de educação formal profissionalizante, educação não formal e continuada quanto ao Direitos Humanos, Econômicos, Sociais, Culturais e Ambientais. Esta organização trabalha com princípios e práticas da Economia Solidária, tendo como objetivo: DESENVOLVER E FOMENTAR AÇÕES COLETIVAS DE PRODUÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO E CONSUMO CONSCIENTE, COM HOMENS E MULHERES DO CAMPO E DA CIDADE, VALORIZANDO OS SABERES E A CULTURA DOS POVOS DO BIOMA AMAZÔNICO.

SEGUIDORES

domingo, 13 de março de 2016

REUNIÃO DO CONSELHO DA REDE BRAGANTINA NA COMUNIDADE DE CARRAPATINHO



Na ultima sexta feira, na sede da Associação Comunitária dos Mines e Pequenos Produtores Rurais de Carrapatinho – ACOPEC, município Capitão Poço, com a participação dos conselheiros (as)   representantes,  aconteceu a reunião ordinária do mês de março do Conselho da Rede Bragantina. A pauta em discussão quanto aos projetos de Capacitação, Produção e Comercialização, foi deliberada no sentido de que todos os empreendimentos devem dos tres projetos de modo que possamos atender as demandas e necessidades dos empreendimentos e do coletivo, notadamente, garantindo o abastecimento dos pontos de comercialização da Rede, e abrindo possibilidades de mercados alternativos locais, em nível de município.
Com trabalho de três grupos, iniciamos a construção participativa da quarta edição da Feira da Economia Solidária e Amostra Cultural da Juventude – FECOSOL-ACAJU, com as seguintes propostas


para compor a programação desse evento: Seminário com tema sobre agricultura familiar e outros a ser definido. Venda de produtos da agricultura familiar, extrativismo, ervas medicinais; Venda de comidas tradicionais, ressaltando a cultura e segurança alimentar; devemos fazer uma organização geral para pensar as questões de local, deslocamento, logistica, moeda solidária; atrações culturais: grupo das comunidades, convidados, bingo, etc. A Feira será nos dias 22, 23 e 24 de julho. Devemos buscar parcerias em cada mnicipio com o Sindicato de Trabalhadores Rurais, Câmara de Vereadores, Pastoral da Criança, orgãos do governo estadual e federal. Como fazer o preço na Feira de Economia Solidária? Devemos fazer uma pesquisa sobre a procura dos produtos.
Os (as) jovens presentes disseram que devemos pensar numa atividade para motivar a juventude, e que faça também ele e ela gostar e não ter vergonha  ser agricultor (a), como encaminhamento, os jovens presentes devem incentivar a formação de uma comissão da juventude em cada empreendimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

FISCALIZAÇÃO AMBIENTAL

Nesta semana a equipe da SEMMA de Santa Luzia do Pará, juntamente a IBAMA, realizou uma serie de fiscalizações na região. O alvo foi a ext...